19 de mai de 2012

Dono do Facebook, Mark Zuckerberg, fala mal do Brasil para atacar ex-amigo



Em meio às expectativas para o lançamento da IPO (Oferta Pública Inicial) do Facebook, o site Business Insider publicou uma bomba mostrando o plano de Zuckerberg para retirar o brasileiro Eduardo Saverin, cofundador da rede social, do negócio.

Apoiado por Sean Parker (antigo dono do Napster), Zuckerberg trocava mensagens com seus advogados e amigos falando mal de Saverin, dos brasileiros e do país. Frequentemente, Mark afirmava que, inevitavelmente, Eduardo seria rico - já que no Brasil é comum tolerarem ilegalidades.

Zuckerberg cita Saverin em uma conversa sobre a participação dele na construção de um site chamado facebook.com para os irmãos Winklevoss, e de como ele gostaria de deixar isso de lado para fazer o seu próprio site. Segundo as conversas recuperadas pelo site Business Insider, Zuckerberg gostaria de criar um site de encontros, mas com outra roupagem menos óbvia.

O problema para que Zuckerberg deixasse os irmãos Winklevoss seria o dinheiro para fazer o próprio site. Aí entra Saverin. "A questão é que eles (irmãos Winklevoss) têm um programador que poderia finalizar todas as coisas e eles têm dinheiro para investir. Ah, espera, eu também tenho dinheiro. Meu amigo quer patrocinar o meu projeto e ser o cabeça do investimento. Aparentemente, ser um traficante de informações (insider trading) não é uma atividade ilegal no Brasil, então ele enriqueceu", diz Zuckerberg antes de sorrir.


Eduardo Saverin é cofundador do Facebook
O termo insider trading se refere a negociação de valores mobiliários baseada no conhecimento de informações relevantes que ainda não são de conhecimento público. Diferentemente do que disse Zuckerberg, segundo a lei brasileira, o insider tarding é considerado tráfico indevido e afronta ao dever de lealdade o uso de informações relevantes, ainda não divulgadas, constituindo comportamento desleal que atenta contra a segurança e a paridade de condição jurídica no mercado.


Em outro texto, ele usa da ironia para falar que se sente aliviado por ficar longe do ex-amigo.  "Agora que não vou voltar para Harvard, não preciso me preocupar em ser espancado por bandidos brasileiros", escreveu.

Arquitetando contra Saverin, Zuckerberg também teria dito que sua intenção era tomar conta de todo o negócio sozinho. "Vou comprar a companhia que criamos e dar uma quantidade menor de ações ao Saverin. Dessa forma, terei o controle total sobre o novo negócio", disse a Parker.

Após uma longa briga na justiça, Saverin conseguiu ficar com 4% do Facebook. Vale lembrar que os brasileiros correspondem a 46 milhões de usuários da rede social, ficando atrás somente dos Estados Unidos.




Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...